domingo, 31 de outubro de 2010

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Não era apenas

uma vontade de ver você que te trazia de volta, era você mesmo.

Ficar bem nem sempre deixa outras opções.

É estranho quando as coisas simplesmente têm de terminar. É o estágio onde todos os sentimentos já evoluíram para um nada. É o nada que você optou para parar de sentir dor. No início você briga, chora, faz drama mexicano. Então percebe que é cansativo demais manter esse jeito de levar as coisas. Acostuma-se.. Não que pare de doer, mas que cai no seu entendimento que às vezes perdemos algo e não há solução. No fim você coloca um sorriso no rosto e finge que é sincero, até que a vida o faça realmente ser. Talvez os amores eternos sejam amenos e os intensos, passageiros. É isso.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O amor

é como uma ferida na cabeça. Faz você ficar tonto, achar que vai morrer, mas acaba se recuperando normalmente...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Cansada

de tudo o que começa, hoje eu só queria alguma coisa que continuasse.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Don't give up on me yet

Don't forget who, i am
I know I'm not there yet
But don't let me stay here alone



Então, o que devo fazer é esperar .

Sem desespero, sem melodrama, sem niilismo -
esperar . Mas até quando, meu Deus, até quando ?

Não te tocar, não pedir um abraço,

não pedir ajuda, não dizer que estou ferido, que quase morri, não dizer nada, fechar os olhos, ouvir o barulho do mar, fingindo dormir, que tudo está bem, os hematomas no plexo solar, o coração rasgado, tudo bem...

Não que eu queira te esquecer,

eu preciso. E luto contra isso, com todas as minhas forças semi-esgotadas.

domingo, 24 de outubro de 2010

Porque é tão mais fácil

aturar a vida sabendo que tem você. Agora sem você, meu amigo, a coisa é feia. Realmente feia.

Andei amando loucamente,

como há muito tempo não acontecia.
De repente a coisa começou a desacontecer. Bebi [demais], chorei [um oceano inteiro], ouvi Maria Bethânia [e Chico], fumei demais [até maconha], tive insônia e excesso de sono, falta de apetite e apetite em excesso, vaguei pelas madrugadas, escrevi poemas (juro). Agora está passando: um band-aid no coração, um sorriso nos lábios – e tudo bem. Ou: que se há de fazer.

E não sei o que dizer, Zézinho,

não tô bem. Isso é uma coisa que
eu posso dizer, tendo certeza dela. Mas é também uma coisa pela
qual você não pode fazer nada, e de pouco adianta eu dizer.
Ô, Zé, ando tão desorientado, já faz tempo. E me escondo, e não
procuro ninguém, e fico mastigando a minha desorientação.

P.S.: - Você sabia que

em tcheco, amor é laska? Não é perfeito?

Como eu queria tomar vergonha


nessa minha cara e te mandar embora da minha vida.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Mas eu tinha que ficar contente.


E quando você quer, você fica. Comecei a ficar.

A dor doía menos assim,





embora não fosse exatamente uma dor. Mais um peso, um calafrio. Uma memória, uma vergonha, uma culpa, um arrependimento em que não se pode dar jeito.

Minha flor...


Minha cor. Minha cara. Não sei o quanto o mundo é bom, mas ele ficou melhor quando você chegou e perguntou: tem lugar pra mim? ...

Porque é tão mais fácil aturar a vida sabendo que tem você. Agora sem você, meu amigo, a coisa é feia. Realmente feia. CFA

Homenagem a minha flor que eu não vejo e nem ouço a tanto tempo. >.<
Saudade de tu ô Fernanda Duque. 

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Vai chover de novo...

deu na TV Que o povo já se cansou de tanto o céu desabar E pede a um santo daqui que reze ajuda de Deus Mas nada pode fazer se a chuva quer é trazer você pra mim Vem cá que ta me dando uma vontade de chorar Não faz assim, não vá pra lá Meu coração vai se entregar à tempestade Quem é você pra me chamar aqui se nada aconteceu? Me diz, foi só amor ou medo de ficar sozinho outra vez? Cadê aquela outra mulher? Você me parecia tão bem! A chuva já passou por aqui, eu mesma que cuidei de secar Quem foi que te ensinou a rezar? Que santo vai brigar por você? Que povo aprova o que você fez? Devolve aquela minha TV que eu vou de vez Não há porque chorar por um amor que já morreu Deixa pra lá, eu vou, adeus Meu coração já se cansou de falsidade ...

Pra não pensar na falta,


eu me encho de coisas por aí. Me encho de amigos, bares, charmes, possibilidades, livros, músicas, descobertas solitárias e momentos introspectivos andando ao Sol.E todo esse resto de coisas deixa ao pouco de ser resto, e passa a ser minha vida, e passa a enterrar você de grão em grão, sujando seus dentes e olhos e nada eu posso com a pá que está na minha mão...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Quem sabe...



quando eu voltar princesa e você gladiador entre feras, 
quem sabe na arena; 
quando emergir do fundo das águas para espiar teu reino terrestre
e verde, à superfície, quando eu talvez sereia, mulher-maravilha,
pastora e astronauta navegando em abismos — quem, quem sabe quando?

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Ela vai mudar...




Vai gostar de coisas que ele nunca imaginou,
Vai ficar feliz de ver que ele também mudou
Pelo jeito não descarta uma nova paixão
Mas espera que ele ligue a qualquer hora só para conversar
E perguntar se é tarde pra ligar
Dizer que pensou nela
Estava com saudade
Mesmo sem ter esquecido que passou

É sempre amor, mesmo que acabe
Com ela aonde quer que esteja
É sempre amor, mesmo que mude
É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou
Ele vai mudar,
Escolher um jeito novo de dizer "alô"
Vai ter medo de que um dia ela vá mudar
Que aprenda a esquecer sua velha paixão
Mas evita ir até o telefone Para conversar
Pois é muito tarde pra ligar
Tem pensado nela
Estava com saudade
Mesmo sem ter esquecido que É sempre amor, mesmo que acabe
Com ele aonde quer que esteja
É sempre amor, mesmo que mude
É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou

Ele é só um cara...







E você já esqueceu outros caras antes...

E se fosse verdade...



Esse negócio de você ficar de um lado desejando que eu seja muito feliz com outra pessoa, e eu do outro, abrindo mão do nosso relacionamento pra não magoar ninguém... é muito lindo, pra um santo, um mártir, um masoquista ou qualquer coisa do tipo. Mas pra mim que sou humana, carne, osso e coração... não tá dando.